CNAD, pó de ser o epicentro da contra-revolução

Contudo, o espírito desse tempo revolucionário foi-se dissipando e, à medida que as ousadias culturais perdiam o fôlego, diminuía a capacidade de resistência do CNA. A instituição terá resistido, enquanto pôde, à mediocridade e à prepotência dos “poderes”. Mas… acabaria por sucumbir, ao ver a sua essência enredada nas tramas neoliberais, das famigeradas indústrias criativas.

Read More

Viver na Praia ou morrer no Mar!

Três décadas após a celebração do acordo, confirmam-se os piores receios e as mais temidas suspeitas, Cabo Verde  sucumbiu à hegemonia da União Europeia. O pequeno país insular, não tem quem o defenda. A elite, que governa a nação, baixou os braços e aprendeu a sussurrar, em língua estrangeira, o preço da independência – 750 mil euros (por ano) e uns trocados pelas toneladas de peixe capturado! 

Read More

As patologias do património cabo-verdiano

Mas, se à generalidade dos cabo-verdianos parecem faltar qualificações para obras de restauro, à equipa do CNAD parece não terem faltado dotes de adivinhação de contactos empresariais ocultos. Efectivamente, só no plano da ironia se compreende que seja mais fácil comunicar com a empresa portuguesa OpusCalsis em Cabo-Verde, do que em Portugal, país onde está sediada a sua morada fiscal.

Read More

CENTENÁRIO PAULO FREIRE: ANDARILHO DE UTOPIAS COM ÁFRICA

Paulo Freire e a Pedagogia da Autonomia : Múltiplos olhares em Cabo Verde IntroAo escutar o Professor Gadotti fui percebendo, de forma mais clara, o que tem dado alento à teimosia que me faz rumar a Sul. O Sul das dificuldades expostas, dos privilégios circunscritos, das resistências informais, das assimetrias sociais indisfarçáveis, das agruras,  das venturas, […]

Read More

Processo Contra-Evolucionário em Curso [PCEEC]

Se, para a maioria da população portuguesa, o actual estado da Educação, é sinónimo de desgraça, para as minorias elitizadas, essa inoperância induzida constitui, infelizmente, uma graça poderosa! Pelo que, certamente, não será obra do acaso ou simples má-fortuna o miserável estado, em que se encontra o sector público de ensino!  Bem pelo contrário, de […]

Read More

Egos e nós de azelha

O miserável estado de inoperância, em que se encontra o serviço público de ensino, é a expressão mais perversa da abusiva operação em curso!
A educação deliberadamente obstruída, tem vindo a ser substituída por um deplorável sistema de instrução, engendrado nas catacumbas elitizadas, para ser mastigado, pelo povo, até à exaustão!

Read More

Governanças Abusivas

O abusivo desempenho das elites privilegiadas, que retiram da política e da administração pública o sustento das suas famílias, em nada tem dignificado os desígnios da representatividade democrática. Bem pelo contrário, pois, através da instrumentalização de uma série de expedientes manhosos, essas elites decadentes encontram no descarado tráfico de influências e no nepotismo primário, formas […]

Read More

Democracia entre Burros e Ferraris

Face a este lamentável Estado, resta saber se a academia subserviente de Lurdes Rodrigues e a inimputabilidade autoritária de Santos Silva serão suficientes para ocultar as provas da selvajaria?

Read More

Minorias Absolutas

48 anos depois de, num abril esperança, nos ter sido confiada a responsabilidade de fazermos crescer uma democracia robusta, sobre um solo impregnado de despojos de ditadura, eis-nos chegados ao XXIII Governo Constitucional, eleito por uma confrangedora minoria – 2.302.601, cerca de 21 % do total de Votantes Inscritos.

Read More

Abandono Cívico

Segundo dados da Comissão Nacional de Eleições (CNE), referentes às últimas eleições legislativas, de um total de 10 813 246 eleitores inscritos, 5 248 757 eleitores não votaram, 63 103 eleitores votaram em branco, 83 721 eleitores viram os seus votos anulados, pelo que, o número de eleitores, cujos votos não contribuíram directamente para a […]

Read More

Mar és

Mar_és
folha de cálculo
para penas azuis
Mar_és um Mus_eu
de operações abusivas
e de subtrações insustentáveis

Mar_és um Mus_eu suspenso!

Read More

NEUROPATIAS

O Dia da Europa poderia ser, para os cidadãos do mundo, uma celebração partilhada mas, como a União estima o seu egocentrismo e as neuropatias, a festa continua a ser privilégio de poucos!

O indecoroso rumo da (des)união europeia, que tem vindo a ser imposto por uma inimputável nomenclatura de influência, tem espalhado espoliação, um pouco por todo o lado!
Aos cidadãos que resistem, sem se deixarem engolir por subsídio-hipocrisias, supostos apoios à cultura, acordos de oportunidade, parecerias especiais e diabo-a-quatro, cumpre a obrigação de, utilizar o seu lugar de fala, independente e não financiado pela UE, para expor os malefícios produzidos pelo Hiper-Mercado europeu!

Read More

25 de Abril por conta doutrem

Como cidadã, nascida no ano da revolução, observo com pesar a indecência e a falta de honestidade intelectual das elites parasitas que se arrastam, como prestadores de serviço com direito a motorista, em torno das celebrações oficiais dos 50 anos do 25 de Abril! As nomeações, as atribulações, as datas, as condecorações, as indecorosas apropriações, […]

Read More

do exílio perene como morada da resistência

“Os povos originários ainda estão presentes neste mundo, não porque foram excluídos, mas porque escaparam. É interessante recordar como, em várias regiões do planeta, resistiram com todas as suas forças e coragem para não serem completamente engolidos por este mundo utilitário. (…) Escapar dessa captura e experimentar uma existência que não se rendeu ao sentido […]

Read More

elefantes de pau

Extraio, do miolo dos livros, a substância-prima para alimentar o propósito da fuga e salvar a razão. Leio, Passadores de Pau, livro de António Fermino de Pina (2009)que dedicou a obra: “À memória de Amílcar Cabral, o maior doutrinador e líder africano do nosso tempo, que a ambição e estupidez de alguns companheiros conluiados com […]

Read More

Artista Dragoeiro

O dragoeiro: Tal como Homem, de uma semente são necessárias várias gerações para ser árvore. Espécie rara. Fóssil vivo, teimosamente resistente desde a noite dos tempos. De um tronco esguio, crespo e agreste rebentam no topo braços e folhas-lanças espetadas para o céu. O dragoeiro e o Homem cabo-verdiano, uma teimosia, dois caprichos da Natureza. […]

Read More

caderno de observações

Este caderno não tem unidade.Seu equilíbrio está na desunião natural dos seus quadros. d’après Luis Romano Caderno de observações tem dupla existência,ora sobre tela digital, ora sobre papel de almaço,sucede o registo exploratório e a interpelação das circunstâncias, que (de)formam o espaço coletivo.Nas páginas, deste longo caderno, inscrevem-se diálogos vários e conversas discretas, inspiradas na […]

Read More

Taru-Andé

Temos de parar de nos desenvolver e começar a envolver-nos. Ailton Krenak, A Vida não é útil, Ideias para salvar a Humanidade Articular a palavra preocupada com o traçado arriscado é lema de vida, que flui, entre trechos de músicas, nacos de livros e lugares de escuta. Fundado nas emergências silenciadas, dotado de vida e movimento, […]

Read More

Livro Escuro

Livro Escuro (1)São de noite e fogo as páginas deste Livro (do) Escuro.As narrativas abertas em cada recorte celebram a escuridão.A intensidade do negrume, que desorientou os gestos e instigou a extração plástica, fez surgir um inusitado enredo gráfico. Dark Book The pages of this Book (of the) Dark are by night and fire. The […]

Read More

lavra incandescente

proposta: calcorrear solo criativo desafio: apreciar a lavra incandescente Lavra Incandescente é parte de um imenso processo criativo, que decorre entre leituras, ritmos, geo.grafias, rostos e tempo… tempo para questionar, tempo para dedicar à observação e compreensão da sensibilidade que ferve a Terra. geo.grafia leituras Chão do povo chão de pedra!O sol ferve-te o sol […]

Read More

do mistério da rotcha scribida ao mister da criação iconográfica

o mistério da escrita incrustada na rocha, segue existindo, em permanente mutação. reza a lenda, ora criada, que terá dado origem ao mister de criação iconográfica!

Read More

nha bindi, da terra ao pano

O Binde é uma peça cerâmica ancestral, utensílio nuclear nas cozinhas de Cabo-Verde, utilizada para confecionar uma iguaria tradicional – o célebre cuscuz de milho. A sua produção, cuja génese remonta a um passado longínquo, está identificada como uma das práticas artísticas mais antigas, registada em solo cabo-verdiano. Os bindes, atualmente produzidos nas olarias do […]

Read More

Sahel

Rua do mar Os homens são restos flutuandoNa rua suja de derrotas… Seus braços destroçadosSão mastros sem bandeirasBailando na calema das horas;Seus gritos de náufragosSão gritos de vagasMorrendo no entre-mar-e-céu! Rua suja de esperançasNo lodo dos seus silênciosOs homens se afundam como âncoras… Onésimo SilveiraPoemas do Tempo das TrevasSaga Hora Grande d’après Rua do Mar […]

Read More

Tudo isto existe, tudo isto é triste, nada disto é fado

“O neoliberalismo não é possível sem uma colonização psíquica, que responde pela obediência inconsciente.”Nora Merlin “O último passo da colonização é o que chamo de Mente nullius: a colonização das nossas mentes”.Vandana Shiva Em cada esquina, um lacaio. Em cada rosto, obediência! A instabilidade, provocada pelo advento da pandemia, tem agravado a indigência da discurseira […]

Read More

terra-longe

A cultura mergulha as raízes no húmus da realidade material do meio onde se desenvolve Amílcar Cabral [ paisagens elaboradas ]Antónia Marques

Read More

luso-comorbidades

condição de uma sociedade que apresenta, ao mesmo tempo, mais de uma debilidade [ em exponencial progressão ]

Read More

d’après Oswaldo Osório

Escrevo para fugir à ditadura do tempo e tentar marcar a minha época cultural com a marca da minha diferença entre os meus iguais criações, em diálogo com a obra de Oswaldo Osório mar adentro, rumo às ilhas do meio do mundo mar adentro,numa jangada de letrasrumoàs ilhas do meio do mundopercorro,com a visão,vocábulos, que […]

Read More

poesia na céu d’ bóka

A fortuna dos encontros fortuitos, que ocorrem frequentemente em solo cabo-verdiano, esteve na génese da poesia na céu d’ bóka. Reza a estória que, no princípio dessa ventura coletiva, terá estado o verbo crioulo, escutado de vagar nas artérias de São Vicente. A sensibilidade e a empatia terão cuidado de garantir mestria ao que sucedeu […]

Read More

provas de vida

5 anos (re)volvidos reiteram-se os motivosque fazem empalidecer a República. a má-ventura continuacom rebelo mas sem rebeldia,a galvanizar a extrema ignorância em Portugal. Sr. Lucindo,lamentavelmente as provas da sua e de outras vidas permanecem soterradas em chão nacional. #racismo#xenofobia#memoria#caboverde#imigracao

Read More

eleitores isolados

hoje não votei, a demo.cracia esqueceu-se dos eleitores isolados ironia macabrafazer o povosair à rua,num dia assim,entorpecido pela mortandade. enferma democracia,vítima de toda a má-sorte de golpes e atentados,agoniza, visivelmente carecida de cuidados continuados.só a incúria,a que te habituaste,débil democracia,justifica que esqueças mortos, infectados e eleitores isolados,e abras as tuas urnasnum dia assim,enlutado. há cinco […]

Read More

tempo de minguarda II

a.no  tempo, de aproximadamente 365 dias e um quarto, que a Terra demora a fazer uma revolução completa em torno do Sol.período cíclico anual em que se praticam determinadas atividades. janeiro [ 31 dias de revolução ] dia 10 breves notas, a propósito do (quase) geral confinamento do intelecto! a indigência dos argumentos, que sustentam o debate público e as conversas enfadonhas sobre a escola, tem aumentado exponencialmente com o advento da pandemia.a ampla ignorância […]

Read More

da humanidade que mora aqui

da humanidade que (ainda) mora aqui É vital amparar as ansiedades É vital desembaraçar as emoções É vital preservar a sensibilidade É vital resgatar o sonho É vital compreender as circunstâncias É vital ler e transformar o mundo É vital renovar os Lugares de Fala É vital enfrentar com lucidez os desafios É vital preservar […]

Read More

binde, coração de argila

as mãos, a argila e o som da terra O Binde é uma peça cerâmica ancestral, utensílio nuclear nas cozinhas de Cabo-Verde, utilizada para confecionar uma iguaria tradicional – o célebre cuscuz de milho. A sua produção, cuja génese remonta a um passado longínquo, está identificada como uma das práticas artísticas mais antigas, registada em […]

Read More

das coisas (quebradas) nascem (outras) coisas

d’après Bruno Munari “É preciso, desde cedo, habituar o indivíduo a pensar, imaginar, fantasiar, ser criativo” (Munari, 2008, p. 225) ficha técnicadia: 25 outubro 2013local: oficina de designintervenientes: prof. Antónia e alun@s 12º CM1proposta de trabalho: “quebrar a louça, com método”materiais: martelo, louça variada, porcelanas, cerâmicas e vidros antigosobjetivo: “transformar cacos em peças de autoria” […]

Read More

criação partilhada

METODOLOGIA DE PROJETO [estruturação de projetos transversais em contexto escolar] Esta ação de curta duração, que irá decorrer num excepcional tempo escolar, visa sensibilizar os formandos para a relevância da metodologia de projeto, na criação de atividades pedagógicas multidisciplinares, através da partilha orientada de casos práticos. Pretende-se que a sessão seja profícua e, acima de tudo, um […]

Read More

isolamento

“o futuro só é tempo quando chega”de permeio, o perenee a foto.grafia  do iso.lamento [d’après Oswaldo Osório “AmanhãO tempo corre Na voragem do ventoNo ruído incessante das águasNa curva hipotética do espaço No desfalecimento da luzE na brancura profética dos nossos cabelos Passam os dias Nasce e põe-se o SolSopra a mesma brisaNavega-se nos mesmos oceanosA mesma Lua brilha no céuE […]

Read More

tempo de minguarda

1. março, tinha tudo para ser um mês igual aos outros, [quase] nada sugeria o contrário, os hábitos enfadonhos e as rotinas banais  garantiam estabilidade à passagem do tempo, as atividades [escolares], sucediam-se ordeiramente, sem novidade ou surpresa  a papelada do costume, acumulava-se nos locais de sempre, as conversas triviais, pavoneavam-se em todos os cantos […]

Read More

a caligrafia da liberdade

escutem os miúdos, habituados desde o berçoa enfrentarem graves suspensões emotivase a mitigarem aflitivos estados de emergência!observem como erguem os lápis, as canetas e os papéis para rabiscarem outros caminhos, reparem comoresistem às tropelias do destino,deixem-se contagiar  pela forma como soletram e escrevem Liberdade! a prof. de educação visual lançou o tema – refletir sobre a liberdade em tempo de […]

Read More

Educação Artística em Estado de Emergência

a paranóia institucional,promovida pelo ministério da educação instrução,fez implodir a educação, extinguiu a criação artística, enviou para outro planeta a sensibilidade estética! os despojos dessa tragédia desprovidos de ornamentos, foram compelidos, pela urgência da pandemia a sair à rua num dia assim… eterno tristes semblantes,sombrias figuras,sobre fundos absurdos, enchem os ecrãs de confrangedoras e desarticuladasilusões.falta a descrição […]

Read More

A Escola por um fio

a excepcionalidade e a emergência, do estado em que nos encontramos, parecem ser justificação bastante para o extenso rol de negligências e irresponsabilidades que, há décadas, contaminam a vida da generalidade das populações. vale quase tudo neste estado de excepção mas, parece não haver a menor paciência para o contraditório. é tempo de consensos solidários, […]

Read More

Festival Literário Morabeza

Morabeza(mais uma) festa da literatura de propaganda! O ícone lusófono é difícil de entender para as pessoas de fora da tradição transatlântica, e, à primeira vista, nem parece representar a Santíssima Trindade. A cena central do ícone vem da Companhia dos Livros (outrora Booktailors), quando Abraão recebe três estranhos em sua tenda:“O Senhor apareceu a […]

Read More

Silêncio Grande na Achada

a chuvamamãe velhanum sopro virou lama, a chuva que há tanto tempo não batia assim,é alegria é agonia,é tempestade que não virou bonança,é aflição que faz bater forte o coração! [d’après Regresso, de Amílcar Cabral] o silêncio da achada é grande,terá a população, lá da frenteencontrado forma de governar a vida?oua outrora ruidosa difusãode suas agrurasterá […]

Read More

Cooperações dramáticas

das burlescas ações de campanha eleitoralaquém e além-mar o desempenho de graça fonseca, e seus parceiros de palco,foi medíocre (como sempre)o público, silenciosamente derrotado,aplaudiu mecanicamente,há muito não vê um genuíno espectáculo! sobre o acordo – o da cooperação assinada a várias mãos,não se conhece a dimensãonão se desvendou o mistério da (sua) criaçãonão se divulgaram critérios […]

Read More

do Fogo ao Inferno

Giovani nunca mais escreverá a seus pais! [singela homenagem ao jovem que deixou em Cabo Verde o Fogo e encontrou em Portugal o Inferno] “Os pais prepararam o menino para embarcar com antecedência, nos fins de setembro. Tinha que fazer matrícula, pagar propinas e alugar quarto onde pudesse estudar à noite sem restrição de luz. Na […]

Read More

Luso-hipocrisia

“ÁFRICA CONTINUA A SER UMA PRIORIDADE PARA A COOPERAÇÃO PORTUGUESA”disseLuís Faro RamosPresidente do Instituto Camões(tutelado pelo Sr. Santos – o ministro perpétuo) Nesta, como em tantas outras entrevistas, deixou por dizer quanto rende à prole do Camões esta abnegada filantropia! um dia, não muito distante,a real história destas co-operações será alvo de debates e intrigas mediáticas.nesse dia,não muito distante,uns confessar-se-ãoespantados,outros,com veemência […]

Read More