linhas soltas, do avesso

as ruas estão vestidas de paredes do avesso, consumidas de sol, riscadas de vento. as portas entreabertas baralham os sentidos, dentro está apenas o que não cabe cá fora. corredores fundos atravessam a morada, de um lado os quartos, do outro as salas. planta simples, lugar comum, onde corre a brisa dos afectos.

telhados rasos, estruturas inacabadas, a arquitectura em progresso define a paisagem. estaleiro ocupado pelas urgências de morada? ou apenas a real noção de que a casa poderá ter de ser aumentada? o que se vê hoje certamente não se repetirá amanhã, ao nascer do sol erguem-se as linhas e soltam-se as sombras que darão formas novas à paisagem.

à sombra. de novo na sombra, do lado de cá da estrada, é tempo de planear como atravessar.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *