Month: August 2016

li.ber.da.des

ousadia. franqueza. licença. desassombro. demasiada familiaridade. Durante um tempo, quase eterno, acumularam-se layers de medos diversos Medo do vizinho, medo do amigo, medo do moço da esquina, medo do barbeiro, medo da senhora do peixe, medo do professor, medo do doutor, medo imenso dos ativos servos do senhor que ditava os destinos. Medos mesquinhos alimentaram […]

Read More

o português já não me chega, preciso aprender crioulo

encontros, achados, deslumbrados, lugares apressados, habitados até às raízes exuberantes, lotados de vida, consumida por ausências intermináveis, saudades indeléveis, firmam a inscrição, definem o gesto, uma, outra, qualquer privação se ocupará do resto. nos rostos a emotividade contida,no corpo a sensibilidade adiada, estou aqui, não me vês? células individuais cerradas evitam, atrasam a eclosão, inibem […]

Read More

ao vento, pendurada numa oliveira

Exercícios gráficos realizados à sombra de uma oliveira.

Read More

espirro de pó

al deia paisagem livre, ampla, esteticamente generosa nua, em pele, carne e osso, deixa-se mirar o encanto dói, entranha-se demoro-me por aí aguardo, anseio pelo calor tórrido espero que venha capaz de derreter a borracha dos meus chinelos ficar, perceber, inscrever, ler as estórias fitar as memórias, revolver a terra, esfolar os dedos levantar a […]

Read More