O POVO DAS ILHAS QUER UMA VOZ DIFERENTE

UMA VOZ DIFERENTE
[Ilhas, somos todos]

O povo das ilhas quer uma voz diferente
Para o povo das ilhas
Uma voz sem gemidos de homens explorados
Na árdua pena da sua existência
Uma voz sem jovens que se alimentem
Do néctar apodrecido dos sonhos importados
Uma voz sem famílias retalhadas
Pelos caprichos de uma globalização seletiva
O povo das ilhas quer uma voz diferente
Para o povo das ilhas
Uma voz sem embargos
Nem esperas eternas pelo acesso livre a outro chão
Uma voz sem arrastões estrangeiros lastrados de peixe roubado
A caminho do Norte;
Uma voz sem palavras abafadas
Pelos acordos firmados com parceiros oportunistas …
O povo das ilhas quer uma voz diferente
para o povo das ilhas:
Uma voz eloquente livre, de real pé no chão
Uma voz cadenciada pelo pulsar da gente que habita os lugares
Uma voz com maneio d’braços a lavrar uma revolução
O povo das ilhas quer uma voz diferente
Para o povo das Ilhas:
Uma voz sem homens impedidos de encontrar sustento no mar
Por terem sido forçados a acreditar em fantasiosas parcerias !

(d’après “Poemas do Tempo das Trevas”)

#EUCV #eu_nao_tenho_culpa

 

 

Praia de Salamansa, Mindelo, maio 2019

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *