Egos e nós de azelha

O miserável estado de inoperância, em que se encontra o serviço público de ensino, é a expressão mais perversa da abusiva operação em curso!
A educação deliberadamente obstruída, tem vindo a ser substituída por um deplorável sistema de instrução, engendrado nas catacumbas elitizadas, para ser mastigado, pelo povo, até à exaustão!

Manter o sector inoperante e obstruído, tem sido o objetivo central dos sucessivos titulares da pasta da Educação. António Costa, ciente da relevância estratégica, do sector em causa, não vacilou, escolheu Tiago para gerir as oclusões e, de facto, terá acertado. Pois, em meia-dúzia de anos, Brandão conseguiu virar do avesso a sina dos titulares da pasta – e sobreviveu, com o apoio do Corpo Nacional de Escutas, a uma legislatura e meia! 

Para além desse (de)feito notável, Tiago Brandão, será, também, lembrado pelo ordinário estilo dormente e pela frouxa caligrafia, com a qual terá copiado, palavra-por-palavra o Plano Nacional de Instruções para bloquear a Cidadania, tomado por empréstimo à Imprensa Europeia do Bloqueio. 

Tiago, exercendo o ofício da oclusão, com frouxa caligrafia

Reza a estória que a pasmaceira, indispensável ao miserável exercício das suas obrigações, terá agravado de forma irreversível o seu generalizado estado de dormência, pelo que, no final da segunda meia-legislatura, o líder do governo se viu forçado a mover o corpo de Tiago para outro gabinete, entregando-lhe um aposento na Assembleia da República, para gerir oclusões de outro ramo – a presidência da Comissão de Ambiente e Energia.

Corpos Duplicados sarilhos redobrados

No entanto, apesar da maçada logística, que a remoção do corpo terá provocado, a visão egocêntrica de António Costa para o sector, jamais terá sido colocada em causa. Pois, de imediato o corpo (de Escutas) de João Costa,  que sempre aguentou o peso morto de Tiago, assumiu a liderança das ruinosas operações de bloqueio da educação.

Consta que o ex-secretário assim que deu por si sozinho no ex-gabinete de Tiago, terá arremessado pela janela fora uma das secretárias e ter-se-á agarrado, por fim, à cadeira que havia cobiçado a vida inteira! O ego de  João Costa, que é desde esse dia o titular dos bloqueios, decidiu convidar o ego de António Leite, por considerar a sua flexibilidade laboral e a sua experiência sindical, conveniente ao ideário das oclusões. Com uma mão sobre o livro da selva e a outra sobre o caderno de caça, ambos, os egos, atados por um frouxo nó de azelha, prometeram servir, com sarcasmo bastante, o miserável projeto de obstrução do serviço público de ensino!

Egos acantonados no Ministério da Educação

Infelizmente, podemos inferir que esta dupla (e meia) aventureira, em nome da presunção dos seus egos e da preservação das suas miseráveis carreiras, utilizará, sem parcimónia, o deplorável sistema de instrução, como arma de bloqueio, para manter a Educação tal e qual como está – inoperante e enredada num lamentável estado de (des)graça! 

Ora, atendendo à malograda conduta, destas governanças egocêntricas e elitizadas, será descabido inferir que o miserável bloqueio da Educação visa incrementar o abandono cívico?

Antónia Marques
maio 2022

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.